Um desafio, por definição, é uma situação difícil ou perigosa que alguém enfrenta, então a primeira coisa que geralmente pensamos quando falamos em desafios é numa situação que enfrentamos, a partir da qual podemos triunfar ou não.

O interessante, então, não é somente analisar o desafio, mas também os elementos que farão a diferença entre encará-lo de maneira bem-sucedida, ou simplesmente enfrentá-lo e deixar ao acaso o sucesso ou o fracasso que se pode obter.

Na Gestão de Projetos Sociais, os desafios são inúmeros. Na grande maioria dos cenários, temos um problema social, muito difícil de resolver, causado por inúmeros fatores e que foram mantidos por anos.

Somados a esse problema, estão diferentes atores, com interesses diferentes, e muitas vezes a única coisa que fazem é contribuir para tornar o problema ainda maior. Embora alguns atores estejam interessados em contribuir para a resolução do problema, eles o fazem com sua própria metodologia, portanto é comum que alguns esforços sejam duplicados, mas é também comum que a abordagem ou estratégia de alguns atores dificulte a nossa intervenção (metodologias paternalistas, por exemplo).

Além do exposto, encontramos desafios na obtenção dos recursos necessários para a implementação dos projetos. De recursos financeiros, cada vez mais escassos, ao talento humano, onde o maior desafio que enfrentamos é encontrar a pessoa ideal no momento ideal para desempenhar o papel ideal para o projeto.

Para aqueles que tomam os desafios como uma grande dor de cabeça, o campo de gestão de projetos sociais pode ser um caminho errado. Mas para aqueles que apostam em um futuro com melhores condições e valorizam a satisfação de ver mudanças positivas nas comunidades em que trabalham, enfrentar esses desafios é o melhor incentivo para entregar um projeto de sucesso.

Qual pode ser a diferença entre encarar um desafio bem-sucedido ou falhar na tentativa?
A partir da minha experiência:

  1. Tenha uma ideia clara da magnitude do desafio. Uma chuva forte não é o mesmo que um furacão.
  2. Preparar a estratégia e as ferramentas necessárias, de acordo com a magnitude do desafio. Não há nada pior do que querer enfrentar o furacão com um guarda-chuva simples.
  3. Sempre tenha um plano B, um plano C e um plano D, se necessário. A magnitude do furacão geralmente muda durante a sua trajetória.
  4. Sempre tenha um objetivo claro. Isso faz que você veja o mesmo desafio de uma perspectiva única e, portanto, sua estratégia deve ser única. O furacão chega a todos, mas se você estiver no comando da companhia elétrica da cidade, sua estratégia será radicalmente diferente do que se você fosse responsável por uma creche!

Os 4 passos anteriores têm algo em comum… Cada passo implica preparação. Você não enfrentará desafios de maneira bem-sucedida sem se preparar para isso!

Inscreva-se para o Webinar Desafios do Gerennte de Projetos

Data: 4 de setembro 2018

Hora: 18:00 hora do Brasil

Facilitador: Juan Manuel Palacios

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *